Marcial Pons

  • Madri
  • Barcelona
  • Buenos Aires
  • São Paulo

Justiça criminal e democracia. Justicia criminal y democracia

Autor:

Coord. Bruno Amaral Machado

Páginas:

416

Edição:

1ª ed. São Paulo: Marcial Pons Brasil e FESMPDFT – Fundação Escola Superior do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, 2013

ISBN:

978-85-66722-08-6

Tira-gosto (PDF):

Clique aqui para fazer o download

Resumo:

O debate sobre o papel do sistema de justiça criminal nos Estados contemporâneos tem ocupado a atenção de juristas e cientistas sociais nos últimos anos. A preocupação com as garantias e proteção aos direitos fundamentais, orientada pelo fortalecimento dos Estados de Direito e construção de limites racionais ao poder punitivo contrasta com a crescente pressão por mais eficiência das instâncias responsáveis pela aplicação das normas penais, muitas vezes difusa e traduzida em demandas de determinados setores da população, elites políticas ou lobbies, mediada pelo discurso dos meios de comunicação de massa.
O debate sobre a reforma do processo penal certamente associa-se a essa discussão, e surge, direta ou indiretamente, como pano de fundo de questões pontuais sobre a extensão e necessidade de aprimoramento ou ajuste das legislações processuais em face de mudanças substantivas dos contextos sociais, culturais e políticos nos quais foram idealizados os institutos processuais. Como compreender o debate sem a ampla percepção sobre as dificuldades em modificar as legislações concebidas em modelos de sociabilidade tão distintos dos atuais?
A reforma processual não é a única frente exposta nos debates contemporâneos. As demandas por mais punição há muitos anos não mais se articulam exclusivamente a pressões de determinados grupos elitistas transmutados em empresários morais. A atipicidade dos novos sujeitos que assumem o protagonismo nas recentes bandeiras repressoras, e que apostam no uso crescente do direito penal como instrumento de controle punitivo associa-se à percepção da pena como instrumento de defesa de minorias, ainda que conscientes das suas deficiências na reconfiguração de novas arenas de disputas e conflitos e na dimensão simbólica da definição jurídico-penal de condutas socialmente reprováveis. Como compreender a complexidade e os desafios do sistema de justiça criminal se desconsiderados os contextos sociais, culturais e políticos em que são idealizados, propostos e aplicados os instrumentos normativos?
Essas e outras questões aparecem nesta obra, fruto de projeto editorial da Marcial Pons com a Fundação Escola Superior do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios.

 

Autores

Alejandro Forero Cuellar • Antonio Henrique Graciano Suxberger • Bruno Amaral Machado • Camilo Ernesto Bernal Sarmiento • Carmen Hein de Campos • Conceição Gomes • Cristina Zackseski • Elías Carranza • Gabriel Ignacio Anitua • Ignacio Flores Prada • Iñaki Rivera Beiras • Jesús M. Rivera Delgado • Jorge Vicente Paladines • José Mouraz Lopes • Lea Marina Meza Córdoba • Lina M. Torres Rivera • Máximo Sozzo • Patrizia Pederzoli • Rogerio Schietti Machado Cruz • Sergio J. Cuarezma Terán