Marcial Pons

  • Madri
  • Barcelona
  • Buenos Aires
  • São Paulo

Criminologia e cinema: semânticas do castigo

Autor:

Bruno Amaral Machado, Cristina Zackseski, Evandro Piza Duarte (coordenadores)

Páginas:

504

Edição:

1ª. São Paulo: Marcial Pons / Brasília: Fundação Escola - FESMPDFT, 2019. Coleção Direito, Transdisciplinaridade & Pesquisas Sociojurídicas - vol. 5

ISBN:

9788545572008

Tira-gosto (PDF):

Clique aqui para fazer o download

Resumo:

A criminologia cultural, recentemente, incorporou em seu campo de interesse a imagem como objeto de estudo para compreender e sensibilizar sobre as variadas manifestações do desvio, das estratégias de controle penal e das realidades do castigo.
As manifestações artísticas – e particularmente o cinema – também produzem discursos sobre o crime (criminologias populares). Cogitamos, inclusive, que as imagens e as representações veiculadas pelo cinema, e mais recentemente pelas séries de TV, possuem um alcance social maior que aquelas difundidas pelas “criminologias acadêmicas”. Parece-nos produtiva, como frente de pesquisa, observar as produções cinematográficas a partir das lentes das criminologias acadêmicas. A maneira como diferentes temas são levados ao grande público sugere um amplo repertório de visões sobre questões que se tornaram historicamente temas de interesse das criminologias.
Este volume apresenta o exercício empreendido por nós e por pesquisadores(as) parceiros(as) do grupo Política Criminal, de desafiar os limites da escrita acadêmica pelo diálogo sobre as manifestações artísticas cinematográficas. Cuidamos, neste volume, da punição, mais especificamente, das semânticas do castigo. Os discursos criminológicos contemporâneos não se ocupam exclusivamente da punição institucionalizada, e sim do sofrimento de todos os dias, dos castigos autoimpostos, de suas peculiaridades, consequências e formas de constituir os mundos em que transitamos, sejam eles reais ou ficcionais. Em uma leitura fenomenológica, devemos considerar que a experiência do castigo recomenda ir além do visível e explicitado. Pensar as semânticas do castigo supõe levar em conta extenso repertório de práticas e atitudes construídas a partir do compartilhamento de sentidos atribuídos a rituais, contextos sociais e instituições. Supõe considerar o castigo como categoria plural, com variações locais relevantes, nem sempre de fácil cognição ou descrição. Abrir-se a esse caleidoscópio de imagens e discursos é um convite que fazemos a quem nos acompanha nesta viagem pelos cinemas e pelas criminologias.

 

Coordenadores:   Bruno Amaral Machado | Cristina Zackseski | Evandro Piza Duarte

 

Autores:  Alberto Carvalho Amaral | Anna Becker | Antonio Henrique Graciano Suxberger | Bruna Portella de Novaes | Bruno Amaral Machado | Camilla de Magalhães Gomes | Carmen Hein de Campos | Carolina Costa Ferreira | Cristina Zackseski | Diego Pessanha Silveira | Edi Alves de Oliveira Neto | Edileuza Penha de Souza | Ela Wiecko V. de Castilho | Elisa Martins Silva | Evandro Piza Duarte | Fernanda Lima da Silva | Gabriel Haddad Teixeira | Gilsileide Souza de Oliveira Piauilino | Guadalupe Leticia García García | Jeferson De | José Geraldo de Sousa Junior | Kárita Rachel Pedroso Bastos | Lucas Gabriel de Matos Santos | Lucas Villa | Luciana Lombas Belmonte Amaral | Luciana Souza Borges Herkenhoff | Manuela Abath Valença | Marcela Aedo Rivera | Marcelo Berdet | Marcelo Coelho | Marcos Queiroz | Marilia Montenegro Pessoa de Mello | Míriam Coutinho de Faria Alves | Moysés Pinto Neto | Paulo Rios Matos Rocha | Pedro Paulo Gastalho de Bicalho | Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo | Samuel Silva da Fonseca Borges | Silvio Cuneo Nash | Soraia da Rosa Mendes | Tarsila Flores | Thales Cassiano Silva | Victor Martins Pimenta | Welliton Caixeta Maciel